Dermatologia Clínica

Para tratamento correto é necessário o diagnóstico correto. O exame dermatológico realizado por um bom especialista faz toda diferença. Vários exames complementares estão disponíveis na dermatologia, alguns como a dermatoscopia já são realizados no momento da consulta, orientando o tratamento. Na prática diária é muito comum os pacientes procurarem tratamento de doenças inflamatórias, infecciosas e malígnas. O exame do couro cabeludo, mucosas e unhas também faz parte do exame dermatológico e pode contribuir para diagnóstico de doenças sistêmicas.

Tratamentos

O que é acne?

Acne é uma das doenças dermatológicas mais comuns. É mais frequente em adolescentes e jovens adultos, tanto em homens quanto mulheres. A acne é mais comum no rosto, mas pode aparecer também no pescoço, costas, ombros, braços e pernas.

Quais são as causas da acne?

Há diversos fatores envolvidos na causa da acne:

  • Fatores hereditários: Se os pais de um jovem tiveram acne, é mais provável que ele também venha a ter acne.
  • Aumento da produção de sebo: As glândulas sebáceas estão presentes na pele e produzem o sebo, um lubrificante da pele saudável para impedir o seu ressecamento. Entretanto, alguns fatores podem aumentar a produção de sebo, como as mudanças hormonais ocorridas na puberdade, o que explica a maior incidência de acne entre jovens desta faixa etária.
  • Obstrução do folículo pilo-sebáceo: Normalmente a descamação das camadas mais externas da pele ocorre gradualmente. Durante a puberdade, estas células descamam mais rapidamente, podendo ocorrer a aglomeração delas no orifício do folículo pilossebáceo, produzindo uma obstrução deste local. Esta obstrução impede que o sebo saia pelo orifício. Este acúmulo forma o que se chama de comedão (popularmente conhecido como cravo).
  • Inflamação e colonização pelo Propionibacterium acnes: A retenção do sebo libera algumas substâncias que causam irritação e, consequentemente, surge uma inflamação. Ao mesmo tempo, o sebo é um meio propício à proliferação de um bactéria chamada Propionibacterium acnes, que intensifica a acne.

Qual a diferença entre cravos e espinhas? Podem ser espremidos?

Tanto cravos e espinhas são nomes populares para diferentes tipos de acne. O cravo é um comedão (sebo que não foi eliminado do folículo pilossebáceo) sem o processo inflamatório. Já a espinha é acompanhada por um processo inflamatório, sendo um ponto vermelho, com ou sem pus. Evite espremer cravos e espinhas! Espremê-los pode agravar o seu quadro e deixar cicatrizes.

Alimentação influencia a acne?

Acne não é causada por alimentos! Portanto, apenas a dieta não resolverá o problema. Entretanto, algumas comidas podem piorar a acne. Se determinado tipo de comida parece piorar a sua acne, é melhor tentar evitá-la. Comidas gordurosas não necessariamente tornam a sua pele mais oleosa, apesar de poderem piorar a acne ao redor da boca por deixarem resíduos oleosos na pele.

Menstruação ou tensão emocional pioram a acne?

O estresse é comumente relacionado ao desenvolvimento de acne. Isto se deve ao fato de o estresse provocar efeitos no corpo, entre eles, alterações hormonais, que podem causar a acne. Portanto, fatores emocionais e ciclo menstrual podem atuar como agravantes da acne.

Quantas vezes preciso lavar a pele acneica?

A lavagem , a esfoliação e a manipulação excessivas não irão prevenir nem tratar a acne, mas podem piorá-la! Lavar a pele 1-2x/dia em geral é o suficiente para retirar o excesso de óleo da pele ajudar no tratamento da acne. Se você também tiver cabelos oleosos, lavar os cabelos diariamente com um shampoo adequado auxilia no tratamento, pois evita que o óleo dos cabelos passe para a pele.

Qual o melhor tratamento para acne?

Não há um tratamento único para todos os tipos de pele e estágios da acne ou que funcione em todos. Esperar que a acne se resolva sozinha, além de frustrante, pode deixar cicatrizes permanentes. O ideal é tratar a acne enquanto ela persista. Não há tratamento milagroso que funcione da noite para o dia. Em geral são necessários de 6 a 8 semanas para que os resultados apareçam. Isto acontece pois o tratamento evita o surgimento de novas lesões enquanto as existentes se resolvem sozinhas. Apesar de tentador, não se deve espremer as espinhas e cravos pois pode-se agravar o quadro e deixar cicatrizes.

A escolha do tratamento correto dependerá da sua idade, sexo, severidade e extensão das lesões de acne. Nas mulheres é importante saber se está amamentando, grávida ou tentado engravidar . O tratamento pode ser tópico (produtos aplicados na pele em casa ou no consultório) ou sistêmico (tomados via oral) ou uma combinação destes.

O tratamento tópico é o mais indicado para casos de leve a moderado de acne. Algumas das medicações comumente prescritas incluem o peróxido de benzoíla, ácidos (retinóico, salicílico, azeláico) e antibióticos. O tratamento sistêmico pode incluir antibióticos, anti-concepcionais e até mesmo a isotretinoina. Converse com seu dermatologista para saber o que é melhor para você.

Há tratamento para cicatrizes de acne?

Há diversas opções de tratamentos disponíveis para tratar as cicatrizes de acne. Entre elas estão: resurfacing a laser, laser fracionado, dermoabrasão, peelings químicos, cirurgia e preenchimentos. Cada cicatriz e paciente é único. Por isso, os melhores resultados são obtidos com o tratamento individualizado. Converse com seu dermatologista para saber qual o melhor tratamento para você.

O que são ceratoses actínicas?

As ceratoses actínicas são lesões avermelhadas, ásperas, descamativas ou crostosas e podem medir de alguns milímetros até alguns centímetros. Em geral estão localizadas na face, couro cabeludo, lábios, antebraços e dorso das mãos, por serem áreas mais expostas ao sol.

São bastante comuns na população de pele clara e naqueles que se expuseram muito ao sol ao longo dos anos. São mais numerosas e frequentes nos mais idosos pois demoram anos para aparecerem, mas isso não impede que surjam em indivíduos de 20-30 anos.

As ceratoses actínicas são lesões pré-malígnas e podem evoluir para carcinoma espinocelular, devendo ser tratadas.

Qual é a causa das ceratoses actínicas?

A exposição solar cumulativa associada a genética são as principais causas do surgimento das ceratoses actínicas. Pessoas de pele, olhos e cabelos claros são mais sensíveis ao sol e por isso apresentam maior risco para o surgimento deste tipo de lesão. Pessoas que moram em locais ensolarados, que trabalham ao ar livre ou se expõem deliberadamente ao sol durante a prática de esportes ou a câmeras de bronzeamento artificial também apresentam maior risco para o surgimentos destas lesões. Outro grupo de risco são as pessoas com o sistema imune debilitado (os imunossuprimidos) pelo HIV, câncer ou transplante de órgãos.

Por que é necessário tratar as ceratoses actínicas?

Além de serem inestéticas, as ceratoses actínicas são consideradas por muitos dermatologistas como lesões pré-cancerosas. Se detectadas precocemente podem ser tratadas. Ao longo do tempo, se não tratadas, podem evoluir para o carcinoma espinocelular que cresce, dá metástases (se espalha para outros órgãos) e pode ser fatal.

Como tratar as ceratoses actínicas?

Há vários tratamentos para as ceratoses actínicas. A escolha de um tratamento específico dependerá da idade, estado de saúde e ocupação do paciente, também dependerá da localização e do número de lesões, da aderência do paciente ao tratamento e tratamentos prévios , além da preferência individual do paciente e do médico.

Entre os tratamentos existentes estão:

  • Criocirurgia (congelamento);
  • Cirurgia;
  • Eletrocoagulação;
  • Medicações tópicas (tais como 5-fluoracil, imiquimod);
  • Terapia fotodinâmica;
  • Peelings e laser ablativos.

O que fazer depois do tratamento? Como prevenir novas lesões?

Após o tratamento é necessário se proteger do sol para evitar o surgimento de novas lesões de ceratose actínicas ou carcinoma espinocelular.

Para se proteger:

  • Evite a exposição solar direta principalmente das 10 às 16 horas.
  • Use filtros solares de amplo espectro (FPS>15) diariamente nas áreas expostas. Aplique o filtro pelo menos 15-30 minutos antes de se expor. Use-o mesmo em dias nublados. Não esqueça de reaplicar o filtro a cada 2 horas independente de suar ou se molhar.
  • Use chapéus, óculos e roupas protetoras que cubram braços e pernas.

Em alguns casos , o ácido retinóico tópico (um creme) pode ser prescrito para prevenção novas lesões.

Devem ser feitas visitas regulares ao dermatologista para o acompanhamento. Às vezes é necessário retratar pois novas lesões podem surgir ou antigas recorrerem.

Parte da dermatologia que atende bebês e crianças. É responsável por prevenir e tratar doenças de pele mais comuns nessa faixa etária. Coceiras, ardor e alergias são bastante comuns nessa fase.

É um exame que avalia pintas e sinais da pele com o intuito de prevenir alguns tipos de câncer de pele.

As estrias costumam aparecer após a distensão excessiva ou abrupta da pele (crescimento rápido, engordar rapidamente, gestação com aumento exagerado de peso etc), que desencadeia uma inflamação e depois rompimento das fibras elásticas e colágenas.

O ideal é que o tratamento seja feito logo que as estrias aparecem, na fase em que são recentes, rosadas, antes que se tornem tardias, brancas. Os resultados dos tratamentos são variáveis, pode haver melhora e até regressão das estrias, como nenhum efeito.

Quais são os tratamento tópicos que podem ser usados para acne durante a gravidez?

O tratamento tópico são medicações aplicadas diretamente na pele para o tratamento da acne ou outros problemas de pele. O tratamento da acne pode ser feito com diferentes produtos, sendo os mais comumente usados o ácido azeláico, o peróxido de benzoíla, ácido glicólico e ácido salicílico.

O ácido retinóico pode ser usado durante a gravidez?

O ácido retinóico é diferente dos outros medicamentos utilizados para o tratamento da acne. Ele pertence a um grupo de medicações, os retinóides (da família da vitamina A), que sabidamente causam defeitos no feto quando ingeridos. Entretanto, a quantidade de ácido retinóico absorvida pela pele é muito baixo. Estudos demonstram que mulheres que usaram o ácido retinóico tópico (aplicado na pele) não apresentaram um risco aumentado para defeitos no feto. Mas como existem 4 casos de defeitos nos fetos relacionados ao uso da tretinoína tópica,o mais seguro é evitar o seu uso durante a gravidez.

Os tratamentos tópicos para acne podem afetar a capacidade de engravidar?

Não. Os tratamentos tópicos para o tratamento da acne não diminuem a sua capacidade de engravidar.

Os tratamentos tópicos da acne são seguros durante a gravidez?

A grande maioria dos medicamentos tópicos vendidos nas farmácias para o tratamento da acne são seguros. Estudos demonstram que na maioria dos casos apenas 5-10% dos ingredientes ativos são absorvidos pela pele. Por isso, se relevante, a concentração que passa para o bebê é mínima e improvável de ser alta o suficiente para causar defeitos no mesmo.

É seguro usar o ácido salicílico ?

Quando tomado em doses mais altas como aquelas usadas para dor, o ácido salicílico pode interferir com o desenvolvimento do bebê. Entretanto, o uso de doses baixa (100mg ou menos) de aspirina, não parece aumentar o risco de defeitos no bebê. Quando usado em produtos tópicos, a absorção do ácido salicílico é mínima, muito menor que aquela obtida com comprimidos em dose baixa. Por isso, é improvável que medicações tópicas com ácido salicílico possam interferir no desenvolvimento do bebê.

É seguro usar o peróxido de benzoíla tópico durante a gravidez?

Não há estudos sobre o uso do peróxido de benzoíla tópico em grávidas. Entretanto, como apenas 5% da quantidade aplicada na pele é absorvida pelo corpo, é improvável que seja suficiente para causar algum tipo de problema.

É seguro usar topicamente o ácido azeláico e o ácido glicólico durante a gravidez?

Não há estudos sobre o uso do ácido azeláico e do ácido glicólico tópico em grávidas. Entretanto, como apenas 5% da quantidade aplicada na pele é absorvida pelo corpo, é improvável que o uso de produtos contendo um destes seja suficiente para causar algum tipo de problema.

É seguro usar produtos contendo outras substâncias durante a gravidez?

Há inúmeros produtos para o tratamento da acne contendo outras substâncias, diferente das discutidas aqui. Em caso de dúvida, acesse o site: www.otispregnancy.org.

É seguro amamentar usando algum destes tratamentos tópicos?

Sim. Como apenas uma pequena quantidade do produto aplicado na pele é absorvido, a concentração que passa para o leite materno é mínima, se houver. Tenha cuidado apenas para não aplicar o produto na pele da mama ou em outra área qualquer que possa entrar em contato com a pele do bebê antes de secar.

Como evitar o surgimento de estrias na gravidez?

O surgimento das estrias é multifatorial. Há uma tendência hereditária. A chance do surgimento das estrias parece estar relacionado:

  • Com o aumento excessivo de peso na gravidez: quanto maior o ganho de peso, maior o risco de surgirem as estrias;
  • O número de fetos: as chances do surgimento de estrias aumentam com a gravidez gemelar;
  • A idade da gestante: quanto mais nova a gestante, maior o risco.

O ideal é hidratar bem a pele (seu dermatologista pode indicar os produtos mais indicados) para garantir a elasticidade e controlar o ganho de peso para diminuir o estiramento dela.

O que é?

A hiperhidrose é o suor excessivo, independente do calor. Todos suamos para abaixar e manter a temperatura do corpo. Em algumas pessoas, entretanto, há uma resposta exagerada. Em geral é agravado com o calor ou com o estresse.

Quais são as causas?

A hiperhidrose pode ser :

  • Primária, quando não é consequência de nenhuma outra doença;
  • Idiopática quando não se sabe a sua causa;
  • Secundária quando resulta de algum outro problema de saúde ou efeito colateral de algum tratamento;
  • Localizada quando acomete somente algumas regiões como as plantas dos pés, as palmas das mãos ou as axilas; ou
  • Generalizada, quando grandes áreas do corpo suam excessivamente.

Há 3 tipos de hiperhidrose:

  • A primária focal idiopática: esta acomete frequentemente as palmas, plantas e/ou axilas, não tem uma causa conhecida e, em geral, se inicia na infância ou adolescência e parece ter uma predisposição genética;
  • A idiopática generalizada, quando grandes áreas são acometidas sem causa aparente e nestes casos em geral são usadas medicações via oral;
  • A secundária generalizada, que decorre de algum problema médico ou medicação. Pode acontecer na menopausa, nas doenças tireoidianas, na obesidade, na neuropatia diabética, durante o exercício e no calor. Algumas medicações que podem causar a hiperhidorse são medicações para controle da pressão alta e antidepressivos.

Como tratar?

O tratamento dependerá da causa. Há diversos tratamentos disponíveis:

  • Produtos com substâncias anti-perspirantes (presente em desodorantes) que devem ser aplicados à noite e lavados pela manhã;
  • Iontoforese;
  • A toxina botulínica que bloqueia o suor na área tratada por até 8 meses;
  • E, em último caso, pode-se recorrer a cirurgia torácica com a simpatectomia.

A psoríase é uma doença crônica e não contagiosa. Sua causa é desconhecida, mas sabe-se que pode estar relacionada ao sistema imunológico, às interações com o meio ambiente e à suscetibilidade genética.

Quais são os sintomas da psoríase?

Os sintomas variam de paciente para paciente, dependendo do tipo da doença, mas podem incluir:

  • manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;
  • pequenas manchas escalonadas;
  • pele ressecada e rachada, às vezes, com sangramento;
  • coceira, queimação e dor;
  • unhas grossas, sulcadas ou com caroços;
  • inchaço e rigidez nas articulações.

Além disso, alguns fatores podem aumentar as chances de uma pessoa adquirir a doença ou piorar o quadro clínico já existente, dentre eles:

  • Histórico familiar – Entre 30 e 40% dos pacientes de psoríase tem histórico familiar da doença.
  • Estresse – Pessoas com altos níveis de estresse possuem sistema imunológico debilitado.
  • Obesidade – O excesso de peso pode aumentar o risco de desenvolver um tipo de psoríase, a invertida, mais comum em indivíduos negros e HIV positivos.
  • Tempo frio, pois a pele fica mais ressecada; A psoríase tende a melhorar com a exposição solar.
  • Consumo de bebidas alcóolicas.
  • Tabagismo: o cigarro não só aumenta as chances de desenvolver a doença, como também a gravidade da mesma quando se manifesta.

O que é e para o que serve?

A terapia fotodinâmica é uma opção menos invasiva para o tratamento de câncer de pele (como por exemplo alguns tipos de carcinoma basocelular) e de lesões pré-malignas (ceratoses actínicas), além de auxiliar no rejuvenescimento.

Como é o procedimento?

Aplica-se um creme (METVIX ou LEVULAN) na área a ser tratada e cobre-se a região. Esse creme contém uma substância foto-sensível que, em contato com a pele, penetra seletivamente nas células alteradas. Depois de um determinado tempo (em geral 3 horas), retira-se o creme da superfície da pele e expõe-se a região a uma luz (vermelha ou azul) entre 7 e 10 minutos.
Mais recentemente, os estudos mostram que o creme pode ser aplicado nas áreas com lesões e o tratamento pode ser feito mediante exposição à luz do dia.

O que esperar após o tratamento?

Logo após o tratamento a pele da região tratada ficará vermelha. Ela pode inchar e surgirem crostas. Em geral, tudo se resolve completamente entre 7 e 10 dias.

É muito importante proteger a região tratada do sol e luz após o procedimento, pois ela estará mais sensível.

Qual a vantagem da terapia fotodinâmica?

A terapia fotodinâmica tem um excelente resultado estético sem a necessidade de uma cirurgia convencional. Além disso, melhora o aspecto global da pele promovendo o rejuvenescimento da região tratada concomitante ao tratamento das neoplasias. Quando bem indicada tem ótimos resultados e taxas de cura.

Na terceira idade, é comum que a pele sofra alterações de textura e que haja a degradação do colágeno devido ao estresse, exposição solar ou até mesmo a poluição.

É muito importante que após os 60 anos de idade seja feito um acompanhamento ainda mais intenso da pele do indivíduo. Isso porque até mesmo outras doenças podem se manifestar através da pele.

Cuidados Básicos

Muitos problemas podem surgir pela manipulação inadequada das unhas. Por isso é importantíssimo o cuidado com as unhas para mantê-las sempre bonitas e saudáveis.

Lembre-se das seguintes dicas:

  • Mantenha as unhas limpas e secas. Isso ajuda a evitar que bactérias e fungos se acumulem embaixo das unhas. Após o banho seque bem e passe álcool entre os dedos dos pés ou use secador de cabelos para secar a região e evitar frieiras (micose).
  • Se as unhas dos pés forem muito grossas, duras e difíceis de cortar, deixe-as de molho em água morna com sal durante 20-30 minutos para amolecê-las antes de cortar. Use regularmente um creme nas unhas pois isso também ajuda a amolecê-las. Seu dermatologista pode lhe indicar um produto adequado.
  • Todas as unhas devem ser cortadas retas, quadradas, para evitar que encravem (principalmente as dos pés!). Lixe as pontas nas cantos laterais das unhas para deixá-las levemente arredondas nos cantos e livres de farpas.
  • Atenção para os calçados que você usa! Sapatos apertados, com bico fino e/ou salto alto são um terror para suas unhas! Evite-os principalmente se você tiver as unhas dos pés muito curvas, desalinhadas ou com tendência a encravar.
  • Não tente desencravar uma unha, principalmente se ela já estiver dolorida e inflamada. Você pode piorar ainda mais o problema! Procure o seu dermatologista. Ele pode lhe ajudar.
  • Não remova a cutícula! A cutícula existe para proteger as unhas. Retirá-las facilita, propaga e perpetua as infecções. Amoleça e hidrate as cutículas e unhas com um creme hidratante ao invés de cortá-las ou empurrá-las.
  • Evite roer e mexer nas unhas com instrumentos pontiagudos (espátulas, pau de laranjeira, alicate, etc.). Isto pode deixar marcas (manchas brancas ou depressões) nas unhas que ainda estão nascendo ou então provocar o descolamento da unha do dedo!
  • As unhas racham e se desfazem em camadas (desfolham) por diversos motivos. São causas: o ressecamento natural que ocorre pela idade, ciclos repetidos de hidratação e desidratação das unhas durante serviço doméstico, o uso de produtos químicos (detergentes, sabão, desinfetantes, etc.) nos afazeres do lar, traumatismos repetidos, excesso de cuidados de manicure (cutilar, pintar com esmaltes e usar acetona ou removedor de esmalte repetidamente). O seu dermatologista pode lhe ajudar a melhorar. Converse com ele!

Qual é a doença mais frequente das unhas?

Sem dúvida é a micose. As micoses das unhas ocorrem em aproximadamente 3% da população geral e a sua frequência tem aumentado nos últimos anos. Entretanto, nem todas as doenças das unhas são micoses.

Trate das suas unhas, procure um dermatologista!

Curiosidades

  • Pode surgir uma unha fora da localização normal.
  • A consistência da unha pode mudar e existem unhas moles.
  • A forma da unha pode mudar nos casos de anemia principalmente nas crianças.
  • Após uma doença infecciosa pode surgir um sulco transversal nas unhas ou o descolamento completo dela.
  • Alterações circulatórias podem deformar as unhas que ficam semelhantes a vidro de relógio.
  • Alguns medicamentos orais alteram a cor das unhas.

Para que servem as unhas?

As funções das unhas são: apreensão, ataque, defesa e adorno. Servem também para revelar doenças internas.

Quanto crescem?

As unhas crescem durante toda a nossa vida. A velocidade do crescimento é em média de 3mm/mês.

A unha na criança cresce mais rápido e, no idoso, o crescimento diminui significativamente. A gravidez e o hábito de roer unhas aceleram o crescimento. Já as infecções diminuem o seu crescimento. As unhas das mãos crescem mais do que as dos pés, porém cada dedo pode ter uma velocidade de crescimento diferente. As unhas crescem mais no verão do que no inverno.

A unha do homem é mais grossa que a da mulher.

E quanto a cor das unhas?

As unhas normais são brancacentas.

A cor da unha pode mudar quando o indivíduo está com uma doença, quando faz dieta rica em caroteno (cenoura, mamão, abóbora, etc) ou quando está usando determinados remédios.

Quando existe uma micose as unhas podem amarelar e até escurecer.

A unha do quinto dedo do pé frequentemente escurece. Isto se deve a fricção constante nos calçados fechados.

Indivíduos negros podem ter listas escuras nas unhas pela própria raça.

Podem surgir listras ou sinais pretos debaixo das unhas que podem ser benignos ou malignos. Devemos sempre estar atentos. Avise imediatamente ao seu dermatologista caso note uma nova mancha escura na sua unha!